Month: Março 2010

Procrastinação – 4 razões para falhar os objectivos

Procrastinação é uma palavra complicada, e ainda mais complicados são os efeitos da mesma na produtividade e na nossa gestão do tempo. Procrastinação vem do latim procrastinatus: pro– (à frente) e crastinus (de amanhã). A procrastinação é uma disposição comportamental que leva a adiar e a evitar determinadas tarefas ou certas decisões. Este comportamento de fuga é causado pela existência de outras actividades mais agradáveis e que assumem, aparentemente, maior saliência no imediato.

A procrastinação é algo que muitos de nós nos deparamos todos os dias. Quer por hábito, quer por feitio. Muitas vezes não encontramos a motivação para realizar determinada tarefa ou actividade, arranjando uma variedade de desculpas, hábitos, pensamentos e medos que nos absorvem no comportamento diário. No entanto a procrastinação pode ser facilmente ultrapassada se simplesmente tivermos tempo para perceber a dinâmica complexa deste ritual comum. Aprendendo algumas estratégias simples mas eficazes (que nos assistem a atingir um estado motivado) ajudarão à criação da força necessária para perseguirmos os objectivos com energia reforçada.

Compreender a dinâmica da procrastinação passa por conhecer as razões pelas quais o fazemos. Em seguida enumero quatro dessas razões:

1 – Medo do Fracasso

Muitas pessoas  adiam fazer algo por medo de falhar. Se apenas falarem das suas esperanças e sonhos, mas não fizerem nenhum esforço para os alcançar, nunca irão falhar.

Se no entanto as pessoas agirem para realizar os sonhos, mas não o conseguirem, têm medo de ser vistos pelos outros como falhados.

Mesmo que a meta não seja atingida, o acto de tentar deve ser uma recompensa por ele mesmo. Parte da aprendizagem baseia-se na experiência, e a mesma só pode ser obtida através da acção. A maior parte das pessoas reconhecem o esforço independentemente do resultado. O acto de tentar é um acto de bravura. O acto de evitar é um sinónimo de covardia. Não caia na armadilha de usar o medo como desculpa para procrastinar. Lembre-se: a maior parte das pessoas bem sucedidas não o conseguiram por um golpe de sorte, mas sim por persistência.

2 – Sentir-se Esmagado

Por vezes olhamos para um objectivo e o facto de haver tanto a ser feito simplesmente deixa-nos “esmagados”. Essa sensação deixa-nos paralisados, impedindo-nos de dar o primeiro passo em direcção ao objectivo.

Cada objectivo da sua vida (pessoal ou profissional) deve ser decomposto em partes mais pequenas. Para cada parte deve definir as tarefas e acções a realizar para ser bem sucedido. Se olhar para o objectivo final o deixa oprimido, olhe antes para os pequenos degraus do caminho a percorrer. Dê um passo de cada vez sem se preocupar com o próximo e avance a cada pequena vitória. Antes de você dar por ela já chegou ao topo da escada e encontrou o sucesso.

3 – Natureza Humana

O ser humano tende a evitar o que causa sofrimento ou dor, e acabar por cair no que é fácil ou dá prazer. A fim de evitar a procrastinação devido à dificuldade ou natureza pouco atraente de uma tarefa, comprometa-se em acabar as tarefas mais desagradáveis primeiro. Aborde essas tarefas com uma atitude positiva. Aperceba-se que quanto mais cedo a começar e quanto mais depressa a fizer, mais cedo ela terminará.

Se conseguir resolver os problemas mais difíceis primeiro, o caminho seguinte até ao objectivo final será muito mais suave.

4 – Perspectiva

Se olharmos para uma tarefa como sendo difícil, assim será que ela vai ser para nós. Em vez de temer uma missão, veja-a como uma oportunidade para se destacar. Se o escolherem para realizar um trabalho de pesquisa, encare-o como uma oportunidade para ganhar conhecimento e alargar os seus horizontes. Ao abordar um projecto com entusiasmo poderá transformar uma simples tarefa em prazer. Tente mudar a sua perspectiva para ultrapassar a procrastinação e atingir os objectivos mais facilmente.

 

Uma ironia da procrastinação é que muitos de nós nos queixamos da falta de tempo. Mas isso não impede a mesma pessoa que diz ter falta de tempo, procrastinar e ficar sentada deixando o tempo passar, impassível, temendo o trabalho que a espera. Se apenas arregaçarmos as mangas e começarmos, facilmente nos vai parecer que o dia tem mais horas e iremos encontrar tempo para tudo.

Se você tem tido dificuldade para atingir os seus objectivos olhe para os passos para atingir o sucesso neles e questione se caiu nas profundezas da procrastinação. Examine e descubra as causas que o levam a procrastinar e no final prometa a si mesmo que não vai deixar que a procrastinação lhe mate as esperanças e os sonhos.

 

Em jeito de conclusão deixo a música de António Variações “É pr’amanhã”, dedicada a todos os procrastinadores. Mas lembrem-se: ao contrário do que a música diz, não deixem para amanhã o que podem fazer hoje!

youtube
please specify correct url

Dropbox – organize os seus ficheiros

Parte da Organização Pessoal passa por saber onde estão as coisas que precisa. Além disso convém ter também as suas coisas quando precisa delas. Está farto de andar sempre com uma pen-drive atrás de si para ter consigo os seus ficheiros importantes? E quantas vezes é que já teve que voltar para trás porque se esqueceu da pen em algum computador, ou acabou mesmo por perdê-la? Há uma solução para esses problema: chama-se Dropbox.

Instale o Dropbox

Dropbox – o que é?

Dropbox é um software que sincroniza os seus ficheiros através da internet entre os seus vários computadores. Grave os seus ficheiros para a sua pasta Dropbox num computador, e eles estarão quase instantaneamente disponíveis em todos os outros computadores que tiverem o Dropbox instalado (quer sejam Windows, Mac ou Linux) porque uma cópia desses ficheiros está guardada nos servidores seguros da Dropbox, podendo os mesmos ser acedidos através do site da Dropbox a partir de qualquer computador ou dispositivo móvel.

Com Dropbox os seus ficheiros estão sempre sincronizados. Você edita um documento no seu computador de casa. Mal carregue no botão ‘gravar’, o software irá sincronizar esse ficheiro para o servidor Dropbox e posteriormente para todos os seus outros computadores (e até o seu IPhone) instantaneamente e automaticamente. É como se gravasse esse documento em todos os seus computadores. Isto dá-lhe a liberdade para trabalhar em qualquer dos seus computadores e ter sempre todos os ficheiros disponíveis sem ter que se preocupar com discos externos ou pen drives com esses ficheiros.

Partilha de ficheiros

Com o Dropbox você pode partilhar pastas inteiras ou ficheiros específicos. Enviando por e-mail o convite a pasta ou o ficheiro ficam sincronizados entre o seu Dropbox e o deles, fazendo o Dropbox uma ferramente perfeita para trabalhos de equipa.

Backup automático

Como já mencionei qualquer ficheiro ou pasta gravado no Dropbox é copiado automaticamente para os servidores seguros da Dropbox. Mesmo que um ou mais dos seus computadores tenha problemas irreparáveis, a sua pasta do Dropbox estará sempre segura. Cada conta grátis tem 2GB de espaço, podendo através de uma conta paga ter uma solução com mais espaço. Uma pergunta pode surgir: onde ficam guardados os ficheiros? Os ficheiros existentes nos servidores Dropbox são enviados por SSL, encriptados com AES-256 e guardados no serviço Amazon’s Simple Storage Service (S3). Isto significa que será um serviço com estabilidade, segurança e fiabilidade.

Máquina do Tempo

Sempre que há uma sincronização com os servidores do Dropbox, um histórico de cada mudança é guardado para que possa voltar atrás caso se tenha enganado podendo até recuperar ficheiros apagados. O histórico é mantido durante um mês permitindo ter tempo para recuperar de qualquer asneira que você faça aos seus ficheiros.

Veja aqui a lista completa de funcionalidades e os requisitos do sistema necessários.

De seguida veja uma demonstração de como utilizar o Dropbox.

Instalar Dropbox

 

 

Organize o seu computador – Criar uma partição

Neste mundo onde cada vez mais a tecnologia predomina, a organização pessoal passa cada vez mais também pela organização de toda a nossa informação digital. Todas as vezes que o computador é formatado, quer por rotina, por upgrade do sistema operativo, ou numa situação mais grave, por avaria, provavelmente já lhe aconteceu perder dados ou questionar-se sobre o melhor local para os guardar. Uma das formas de não perder os dados é criar uma ou mais partições, caso o seu computador tenha apenas um disco.

Partições do disco?

Para quem não é um mero utilizador informático, o termo partições de disco pode parecer um pouco estranho. Criar partições no disco nada mais é do que “dividir” o disco duro em duas ou mais partes.

partições de disco

Ao abrir a opção “Meu Computador” no seu PC e vir o disco local, geralmente designado por C:, na verdade você está a utilizar uma partição do disco que, nesse caso, é única.

Cada divisão criada é designada por uma letra do alfabeto seguida de dois pontos. Assim, você pode ter: C:, D:, E:, G: e assim por diante, cada uma dando acesso a uma partição, ou outro disco (interno, externo, pen) ou drive (CD, DVD, etc.).

Para ajudar a entender, imagine um escritório que pode ser dividido em diversos departamentos. O escritório seria o disco duro e, cada departamento, poderia ser uma partição diferente. Assim, você pode ter um escritório com apenas um departamento, ou, vários departamentos, tudo de acordo com a necessidade. Tal como você pode dirigir-se a cada departamento do escritório sem passar pelos restantes, também poderá aceder a cada uma das partições como se tratassem de discos duros diferentes.

Para quê particionar o disco?

Como já falei no início, por vezes é necessário formatar o disco duro do computador e surge sempre a pergunda: onde devem estar gravados os ficheiros para não serem perdidos? O uso de partições no disco duro pode solucionar problemas como este. Como? Simples. Suponha que o seu disco duro possui duas partições: numa você instala o seu sistema operativo, e na outra guarda todos os seus ficheiros importantes. Se surgir necessidade de reinstalar o computador que implique formatar o disco duro, apenas necessita formar a partição que contém o sistema operativo, deixando os seus ficheiros intactos.

Outra utilidade para a criação de partições é a possibilidade de instalar vários sistemas operativos no mesmo computador usando apenas um disco rígido. Cada sistema funciona de uma forma independente do outro.

Sistema de ficheiros

Durante a partição e formatação de um disco duro é necessário escolher o sistema de ficheirosque será utilizado pelo sistema operativo. O tipo de sistema de ficheiros reflecte a maneira como os dados são armazenados e manipulados no disco. Cada sistema operativo possui sistemas de ficheiros diferentes. O Windows, por exemplo, trabalha com FAT16, FAT32 e NTFS, enquanto que o Linux utiliza EXT2, EXT3, ReiserFS, XFS, JFS, etc.

Mas como saber qual sistema de arquivos usar? Os mais usados, no caso do Windows, são NTFS e FAT32 e para o sistema operacional Linux, o sistema mais usado é o EXT3.

Como Fazer?

A criação da partição é recomendável ser feita durante a instalação do sistema operativo. Caso o seu computador esteja já em utilização e pretenda criar uma partição para colocar os seus dados, é aconselhável sempre fazer um backup dos dados mais importantes. 

Caso tenha ainda instalado o Windows XP e o disco que quer particionar seja o disco do sistema operativo, o melhor será utilizar um software para essa função. Recomendo o Partition Magic (versão trial), CompuApps SwissKnife, Cute Partition Magic (grátis).

Com o Windows Vista ou o mais recente Windows 7 é possível fazê-lo directamente através dos sistema operativo. 

Siga o seguinte tutorial sobre como Criar partições no Windows 7 e Vista.

Nos próximos tempos partilharei dicas relacionadas com organização pessoal ligada à tecnologia e aos seus dados.

Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookCheck Our Feed